Escola tradicional recebe alunos do Crepúsculo para Encerramento de Ponto de Cultura

Crepúsculo Cia de Dança lota teatros e encanta público com a peça “Conatus – A Essência do Ser”
abril 8, 2015
Projeto Diversidade e Protagonismo promove reunião interativa e descontraída
abril 14, 2015
Exibir tudo

No dia 07 de abril de 2015 os alunos das oficinas de Artes Plásticas, Teatro, Dança, Musicalização e Contação de Histórias, visitaram a Escola Estadual Afonso Pena, localizada na Avenida João Pinheiro, nº 450, no Centro de Belo Horizonte, para apresentarem os trabalhos realizados durante as oficinas realizadas no Crepúsculo – Centro de Desenvolvimento Humano.

O Professor Wilson Smith apresentou com seus alunos a musicalização através da instrumentalização e da dança, onde os alunos da Escola Afonso Pena, puderam vivenciar esta experiência e também participar ativamente cantando ou tocando um chocalho.

A Professora Flávia do 2º ano e sua turma participaram da oficina de dança. “Eu fiquei sem palavras na hora que vi todo mundo dançando, tocando os instrumentos, uma lição de vida, meus alunos adoraram, disse a professora. Ela ainda relatou que seus alunos disseram não saber que seria tão interessante assim e que pessoas com limitações como os visitantes pudessem realizar coisas tão legais. O Crepúsculo contribuindo para quebrar barreiras já logo no início de vida dessas crianças.

A Professora Cristina Braga alcançou uma interação incrível com os alunos através da produção de artes plásticas. Os meninos ficaram fascinados com o varal de pinturas, improvisado no pátio da escola com os desenhos realizados pelos artistas do Crepúsculo, e todos queriam também pintar o seu quadro. Ao final foi uma festa a troca de trabalhos ente eles.

Em substituição ao Professor João Bosco Veras a Professora Bárbara Souza realizou uma prática de dança e improvisação, e o que se viu foi uma bela troca de experimentação onde os alunos da escola Afonso Pena se mostraram receptivos e amáveis com os novos amigos vindos de fora, tudo com muita interatividade.

A Professora de teatro e improvisação Bárbara Souza, aproveitou os ensinamentos passados aos alunos do crepúsculo onde se deu o início de uma montagem teatral através de uma proposta vivida pelos alunos que na Escola Afonso Pena foi compartilhada com os novos amigos que foram convidados a realizar juntos, de forma improvisada, a finalização da estória de Zeus o Deus grego todo poderoso.

A professora Vilma, do 3º ano da Escola Estadual Afonso Pena, disse:  “eu gostei demais das oficinas, achei riquíssimo. Já  conheço o trabalho do Crepúsculo dos anos anteriores que vieram aqui na escola. É uma grande oportunidade para que as crianças tenham contato com outras pessoas diferentes, especiais e tão bacanas. O trabalho de inclusão e o resultado alcançado, é muito bonito, a boa aceitação de ambas as partes é muito legal. Fabuloso o trabalho da equipe do Crepúsculo”.

Finalizando a tarde a Professora de Contação de Histórias, Guida Felipe, auxiliada pelos monitores, Davi Henriques e Mateus Junio fizeram uma verdadeira festa musical com os meninos, onde eles ouviram contações de histórias ao som da guitarra de Davi, músicas folclóricas e de desenhos ou programas televisivos infantis, como uma canção do eterno Chaves. Ao final os educadores acompanharam os jovens ao violão cantando a música “O Planeta Sonho” da Banda 14 Bis, com o intuito de ensinar um pouco sobre a conscientização de como cuidar do Planeta Terra.

A Vice Diretora do turno da tarde, Patrícia, declarou ao final das atividades: “Já é a segunda vez que acompanhamos o trabalho do Crepúsculo, e assim sensacional, não tenho nem palavras para agradecer o carinho destes profissionais. Peço que voltem, pois é sempre um prazer receber o Crepúsculo. As crianças adoram, dá pra ver em seus olhinhos a alegria e a felicidade de poder participar desse projeto. Acho que é um trabalho necessário de ser realizado com as crianças, para eles poderem entender e compreender todo este processo, as nossas portas estarão sempre abertas”.

Uma bela tarde de interação, improvisação, arte e muita alegria onde o mais importante era a troca de idéias, vivências, experiências e principalmente a inclusão social onde os diferentes puderam compartilhar o mesmo espaço com total harmonia e felicidade.

Por Elmo Gomes

 

 

 

Os comentários estão encerrados.