Estreia “A parada do trem” – Cia Teatro Olho Nu

Grupo teatral Yepocá apresenta “O Papel Roxo da Maçã” na Associação Crepúsculo
junho 3, 2014
Ocupação da Sala Multimeios da Associação Crepúsculo
julho 16, 2014
Exibir tudo

Ferroviários, passageiros, esposas, filhos, viúvas, vendedores, maquinistas, guarda-chaves, telegrafistas, bilheteiros, sindicalistas, amantes, moradores de beira de linha, gente! Parada do Trem, novo espetáculo do Teatro Olho Nu, fala da extinção do trem de passageiros no Brasil.

Criado a partir de uma pesquisa realizada na antiga Central do Brasil (especialmente em seu trecho mineiro conhecido como Trem do Sertão), reúne histórias, relatos, imagens, sons, objetos, cheiros, comidas, lágrimas, saudades, fotos, vídeos, depoimentos, esperanças, tristezas, ruínas, descasos e lutas.

Com todas as conotações que cabem ao nome, o espetáculo evita um discurso apenas saudosista e dialoga com a realidade de cada local onde é apresentado, discutindo a histórica opção do Brasil pelo transporte rodoviário.

Com uma hora de duração e apresentado preferencialmente em espaços ligados historicamente às ferrovias (como as estações ferroviárias e os galpões da antiga Central do Brasil), Parada do Trem tem produção do Teatro Olho Nu, texto, direção e iluminação de Geraldo Octaviano e elenco composto por Cláudio Márcio, Júnia Pereira, Lucas Pradino e Priscila Maria. Trilha sonora de Dário Marques e Samuel Marques, preparação vocal de Amanda Prates, preparação corporal de Cláudio Márcio, figurinos de Mariana Blanco, cenários de Daniel Hazan e Marcos Moura e fotos de Guto Muniz. Foi realizado com os recursos do premio Myriam Muniz da Funarte.

Local: Funarte MG (Antigo Galpão da Estrada de Ferro Central do Brasil)
De 18 a 27 de julho Sexta e sábado 19Hs e domingo 18Hs
Ingresso: R$10,00. Estudantes, ferroviários e ex-ferroviários, artistas de teatro, dança e circo, maiores de 60 anos (mediante comprovação), pagam meia.

Os comentários estão encerrados.