BIC – Boletim Informativo do Crepúsculo
março 7, 2019
A fantasia está no ar – 8ª Balada do Crepúsculo
março 19, 2019
Exibir tudo

Lucas Henrique, filho de Jaqueline e Reginaldo,  é o Personalidade do mês de Março e sua história, como não podia ser diferente tem início com uma forte ligação à arte.

Lucas nasceu numa quarta-feira, logo após sua mãe, Jaqueline, deixar o Palácio das Artes em BH, onde realizava aulas de teatro. O menino veio no tempo certo, e, como previsto no pré-natal, foi necessária uma cesariana.

Os pais escolheram uma maternidade próximo a sua moradia. Ocorreu tudo com tranqüilidade, segundo Jaqueline.

Mãe de primeira viagem,  desconhecedora dos trâmites, Jack, achou tudo normal. Havia uma preocupação, pois era dia 6/8, e há exatos sete anos, o avô de Lucas havia falecido nesta data. Como era próximo das 23 horas, a mãe perguntou ao médico se ele nasceria naquele mesmo dia ou no início da madrugada. Jaqueline contou ao doutor o porque da preocupação, e ele lhe disse carinhosamente: “Não se preocupe com datas, seu filho virá agora transformar aquele dia triste em alegria”.

Mas Lucas já veio ao mundo muito matreiro e esperou o dia seguinte, nascendo às 00:05 do dia 7/8. Jaqueline nos contou que soube depois que o médico saiu para atender uma mãe em estado mais urgente que o dela, lhe e deixando no bloco, já anestesiada e com a cirurgia iniciada. Lucas demorou a nascer, tempo suficiente para comprometer a oxigenação do bebê. Jack teve infecção hospitalar. Mas não contaram à paciente. Ela teve alta no 3º dia e em casa teve uma febre muito forte o que fez sua mãe, a avô de Lucas conduzi-la de volta ao hospital, onde foi internada novamente. Jaqueline não pôde amamentar seu filho, pois ficou 2 meses no hospital. Mas ao final do tratamento se recuperou e voltou para casa.

Lucas apresentou quadro convulsivo quando completou 1 ano e 8 meses, até então era notado um desenvolvimento lento, dificuldade para falar e andar, se comparado a outras crianças. Começou a tomar medicamentos e fazer os exames que não acusaram nenhum dano e nunca se chegou a ter um diagnóstico.

O menino teve severas convulsões até os 8 anos e depois disso os medicamentos controlaram e a batalha passou a ser a alfabetização. De escola em escola, o amparo veio na rede municipal de BH, através da E M Paulo Mendes Campos. O sofrimento com o comportamento dos colegas que não o entendiam, não o ajudavam, e fez com que Lucas abandonasse os estudos por vezes. Mas a família insistiu para que ele não ficasse sem o convívio social, por mais cruel que pudesse ser, pois sempre tinha alguém para ajudar. Ah! Os anjos! Sempre presentes a nos abrir portas e no amparar. Depois da conclusão do 2º grau e sem capacidade para enfrentar um vestibular, Lucas ficou algum tempo em casa até tomarmos conhecimento da Associação Crepúsculo, onde ele está desde 2009.

No começo frequentava 1 dia da semana depois a carga foi aumentando, na medida em que nosso orçamento foi podendo comportar. O Crepúsculo sempre ajudou na manobra orçamentária, sempre esticando o elástico junto com as famílias. Os gastos são muitos.

Lucas desenvolveu-se bastante, a olhos vistos. Era tímido, calado, dormia muito e assistia TV o dia todo. Com a descoberta de novas possibilidades, ele foi se interessando mais e mais. E saiu da condição que ele viveu na escola, onde era ajudado – passando a ser útil, ajudar os colegas no dia a dia. Lucas nunca falta de aula, sempre preocupado em dar sequência ao trabalho começado e em ajudar no que for possível. Tornou-se um rapaz bonito, cheio de estima, comunicativo, fala sobre vários assuntos, sempre nos surpreendendo com os conhecimentos adquiridos. Desenvolveu habilidades manuais, adquiriu protagonismo, vai e volta sozinho à/ escola. Agora faz aulas de dança contemporânea e dança afro. Já se apresenta, consegue viajar com o grupo e segue feliz seu caminho. Está agora com 31 anos. Lucas é muito feliz!

“O Crepúsculo – Centro de Desenvolvimento Humano tem papel importante no desenvolvimento do Lucas e de outros tantos meninos e meninas. Foi lá que Lucas encontrou a igualdade no lidar com o outro, lá ele se sente inserido, lá ele encontra, diariamente, a compreensão da sua limitação e o incentivo a novas descobertas. E também é lá que nós, familiares, encontramos amparo e solidariedade. As histórias, embora diferentes, tem dúvidas e dores bem semelhantes. E vamos nos fortalecendo e contribuindo da maneira que podemos para que o Crepúsculo siga sua trajetória de acolhimento a essas crianças que não encontram opção nem locais preparados para recebê-las em sua diversidade de diagnóstico e de necessidades.

Lucas com o DJ Don Glauco e Mateus

Nome:                                   Lucas Henrique de Oliveira Ribeiro

Apelido:                     Lucão, o Mito – Professor

Idade:                        31 anos

Cidade onde nasceu:          Belo Horizonte

Onde mora:   Bairro Pompéia – BH/MG

Tempo de Crepúsculo:       10 anos

Sua relação com o Crepúsculo: Gosta muito da convivência com os colegas do grupo. Acha muito importante a atenção e a ajuda que uns dão aos outros. E a paciência é receita para tudo dar certo.

Um sonho:                 Morar em Januária/MG

Uma música:            Tempos Perdidos / Legião Urbana

Um filme:                  A Saga Crepúsculo

Um livro:                   Harry Potter

Um time:                   CRUZEIRO

Uma cor:                   Azul de todos os tons

Uma paixão:             Estar com a família em casa assistindo aos jogos e comendo churrasco

Um prato:                  Comida japonesa

Um hobby:                 Dançar, jogar truco, jogar peteca, acompanhar os campeonatos de futebol, basquete, vôlei, NFL

Um lugar especial em BH: Maleta e Mercado Central

Uma viagem:            Viajar de avião pelas praias do Nordeste

Uma mania:              Batucar no corpo

Pessoa que o inspira:          Juninho, primo (que tem síndrome de down e mora lá em Januária) Tio Zé / Gregory / João / Victor / Clarice / Evandro Passos / Tios e Tias / Papai e Mamãe

 

 

1 Comentário

  1. Ana Brauna disse:

    Conheço Lucas a pouco mais de 34 anos, e me deixa muito feliz sentir a transformação que se manifesta nele, a partir da Dança Afro com Evandro Passos! Agora, percebo que o percurso é ainda mais longo e belo! Parabéns, Lucas!! Você é inspirador! Conheço a mãe e percebo a força do Amor, da Fé e da Alegria que ela vive ao lado de Lucas!! Uma honra conhecê – los
    Eu estou vivendo muitas.transformações pela Arte, e descobri o Movement for Life( Movimento para Vida), que inclui e nos conduz a transformar pela Dança! Muita potência.de Amor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *